quarta-feira, 18 de julho de 2012

Coisas estranhas na Sapateira

Se eu amo sapatos??? A resposta é SIM!!! Sonho com um quarto onde eu possa encher de prateleiras e colocar todos os meus pares dispostos por cores, modelos, preferências, dia, noite, inverno, verão.... E ficar olhando pra todos sem pressa. Enquanto esse dia não chega, eu detectei que coisas estranhas estavam acontecendo. Depois de algum tempo de análise, aqui estão algumas conclusões:


1. Tempos atrás eu comentei que estava apaixonada por modelos de bicos mais finos. Tinha certeza que ficava mais elegante, alongada. Me sentia mais executiva bem sucedida. Comprei 2 pares. Um azul sem salto e este com saltinho da vovó. Mas eis que numa das vezes que eu usei o bichinho eu consegui detoná-lo de uma tal forma que tomei birra. Outro dia usei com uma calça comprida pra tampar o estrago e ainda assim não relaxei. Toda hora que eu lembrava, sentia raiva e vergonha. Por isso eu não quero saber de nenhum exemplar da categoria. Sei que eles não têm culpa (a culpada sou eu) mas o mundo é injusto mesmo....





2. Amor verdadeiro. Amor eterno. Aqui o mais velho tem 5 anos e o mais novo 3. E quer saber?? Eles não me decepcionam. Não tem dor no dedo, aguentam o tranco de um dia inteiro e ainda são obrigados a viverem em situação precária de subsistência. Meu coração parte por vê-los amontoados um em cima do outro, mas é aquela história: Enquanto a prateleira dos sonhos não chega, eles vão ter que aguentar. Amizade verdadeira é assim!!!!





3. Figura estranha no ninho. Tenho certeza que este sofre bullying por parte dos outros. Ele não orna. De novo a culpa é minha. Um dia eu precisei de um calçado novo pra usar num evento e durante 1 minuto este me pareceu o modelo mais apropriado. A reunião de cor clássica + salto tolerável + preço amigo me fizeram trazê-lo comigo mas eu não consigo levá-lo pra passear. Uma judiação, eu sei...




4. Mania de franja. Uma pro inverno e outra pro verão. Certeza absoluta que elas deixam minhas produções, pelo menos, mais funny. Sem contar que são confortáveis e combinam com tudo, bem, quase tudo...



5. ANTIPATIA TOTAL. Não sei o que aconteceu que de uma grande paixão nasceu uma preguiça mortal. Não quero nem saber de sapatilhas, elas estão me achatando, deixam minha batata da perna gigante, meu pé minúsculo e minhas produções ficam bobas, sem estilo, óbvias, sabe como? Pode ser que amanhã eu mude de idéia mas no momento a verdade é essa. Desculpa amigas, vamos ter que dar um tempo...




6. Pau pra toda obra. Chegou como quem não quer nada, foi conquistando seu espaço e quando dei por mim ela estava reinando absoluta em 6 dos 7 dias da semana. Tanta dedicação resultou num desgaste natural da relação. Tivemos que negociar um afastamento por justa causa.




7. Saltinho esquisitinho que até hoje me intriga. Tento vasculhar minha memória e a minha emoção atrás do motivo que me levou as vias de fato e sinceramente não sei. Qual é o sentimento de uma pessoa ao subir num salto de 3 centímetros e ainda por cima dourado e ainda por cima de uma sandália de dedos?????

Será que eu me senti uma rainha no seu trono??? Fato é que eu me apeguei a esse sentimento desconhecido e agora não consigo abandonar. Ainda vou usá-la outras vezes.




8. Nova no pedaço. Se uma tava sobrecarregada, a gente trata logo de aumentar o efetivo. Justiça seja feita.
Mas o que eu não sabia é que esta nova integrante não era fotogênica e por isso só quis aparecer de costas. Mas não tem problema, a gente empolga com as novidades e usa até massacrar. Vocês terão outras milhares de oportunidades de vê-la por aqui!!!! Seja bem vinda!





PS.: Enquanto descrevia a situação da minha sapateira, me lembrei de uma turminha sinistra que preferiu continuar morando na sapateira de Campo Belo. São tipos pouco enturmados, com características bem específicas que por isso não se atrevem tanto. Mas qualquer dia vou apresentá-los aqui. Os estranhos também merecem o seu lugar ao sol...

Nenhum comentário:

Postar um comentário